Logotipo

Proteger o Solo

Pe. Aluisio Heidemann Jocken (10/07/2017)

Qual a diferença entre um agricultor de um explorador da terra? Agricultor é o que ama a Terra e a trata como mãe. Os índios sul americanos ensinam que a terra é Pacha Mama, que nos alimenta e dá segurança do colo. “Mãe que nos amamenta, que nos cuida e nos faz crescer”. Tratar bem a Terra é preservar os recursos naturais para que o desenvolvimento aconteça em nível ambiental, econômico e social.

O agro negócio, tão preocupado com as comodities e a balança comercial, tem utilizado processos agrícolas insustentáveis quanto a agrotóxicos, transgênicos, lavração, gradagem, excesso de cultivações e desmatamentos. O solo desnudo está predisposto aos efeitos da erosão, acelerando a sua degradação física, química e biológica. Isto sem falar nos efeitos negativos do sol escaldante sobre a terra e as forças dos ventos com efeitos devastadores.

A agricultura familiar, com suas boas práticas agrícolas, preserva e melhora o cenário ambiental produzindo alimentos bons e seguros.

O agricultor emprega práticas conservacionistas: uso de plantas de cobertura, sistemas de cultivo mínimo, plantio direto, terraceamento, plantio em nível, análise de solo, subsolagem, adubações mais orgânicas ou racionais. O verdadeiro agricultor busca a passagem do tradicional que desgasta e empobrece o solo para práticas modernas. Entre elas citamos duas: a) o cultivo mínimo que meche o mínimo possível do solo, protegendo parcialmente sua superfície com resíduos da cultura anterior o com biomassa especial para este fim; b) o plantio direto na palha é o sistema de cultivo mais eficiente na proteção dos solo pois se evita o revolvimento da terra, preservando integralmente a palha. Isto propicia redução de uso de combustíveis fósseis, reduz a mão-de-obra e aumenta a rentabilidade através da redução de custo.

Dicas de conservação do solo:

• Evite calçadas concretadas. Isto muda o pH, aquece, impede trocas gasosas. Use pisos permeáveis que não necessitam de contrapiso. Além de protegerem a terra, auxiliam a infiltração da água das chuvas.

• Quando fizer uma obra, guarde o solo superior - 30cm. Ele é cheio de microvida e matéria orgânica. Guarde-o para refazer o jardim. Cubra as pilhas de terra, evitando que a chuva a carregue, e tenha cuidado para não contaminá-la com produtos químicos (tinta, solvente, concreto). Se sobrar, ao final da obra, espalhe uma camadinha pelo seu jardim, ofereça aos seus vizinhos, jogue em áreas verdes. Terra é muito preciosa para ser misturada ao entulho e ser chamada de “lixo”.

• Não estacione sobre a grama. Isso compacta a terra, impede que ela respire e dificulta a infiltração da água das chuvas. Também evitará que pingos de óleo e gasolina contaminem o seu jardim.

• Promover periodicamente a troca das plantas de seu jardim ou plantar várias espécies juntas, em um mesmo canteiro, ajuda a manter o equilíbrio do solo.

• Ao adubar, não pense que “muito adubo” vai fazer “muito bem”. Adube na quantidade indicada. Dê preferência aos adubos orgânicos. Quando em demasia, os sais dos adubos químicos contaminam a terra.

• Evite agrotóxicos. Eles não são “remédios” para os bichinhos do jardim; são veneno mesmo e podem permanecer no solo por longo tempo.

• Matéria orgânica é muito importante para a saúde da terra. Não jogue no lixo folhas secas e restos das limpezas do jardim. Quem disse que folha seca é lixo? Varra para dentro dos canteiros e misture superficialmente à terra ou, então, deixe-as amontoadas em um canto que acabarão por se decompor. Espalhe nos canteiros, onde farão um bem imenso. Evite, apenas, juntá-las junto ao tronco das árvores.

• Mantenha a terra de seus canteiros sempre coberta com material morto (palha, restos de grama seca, até mesmo seixos). Assim, você aumentará a quantidade de matéria orgânica, protegerá o chão do impacto dos pingos de chuva, dos raios intensos do sol e auxiliará os pequenos animais que moram por lá.

MAIS ARTIGOS