Logotipo

NOTÍCIAS

Principal | Notícias | Diocese | CNBB

Feriadão da independência: prudência e a atenção nas estradas garantem a vida

(06/09/2018)

A partir da tarde de quinta-feira (6) até o final do próximo domingo (9), e expectativa é que cresça o número de veículos que devem trafegar pelas rodovias brasileiras para aproveitar o feriadão de 7 de setembro em outras regiões.

Por isso, é importante seguir algumas dicas de segurança. Um mínimo de planejamento pode diminuir o risco de acidentes. Além da tradicional revisão de viagem no carro, como a checagem do nível do óleo, calibragem de pneus, funcionamento dos faróis, limpadores de para-brisas e etc.

O bispo de Caraguatatuba (SP) e referencial da Pastoral Rodoviária da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom José Carlos Chacorowski, diz que o mesmo conselho que dá aos caminhoneiros que estão dia a dia nas estradas a trabalho vale para os motoristas que aproveitam o feriadão para viajar. “Sugiro que percurso todo da viagem seja incluído no objetivo da viagem. Curta a viagem para poder continuar curtindo a vida, que deve seguir depois”.

Segundo o bispo, os acidentes não acontecem no início nem na chegada da viagem. Acidentes acontecem durante os percursos.

“Temos o hábito de pensar nas coisas a serem feitas no destino. Com isso, não aproveitamos a viagem em si, com tudo o que ela traz de interessante e bom. Sem estar com a atenção voltada para o momento presente, ficamos sem ação diante das surpresas escondidas atrás de cada curva”, ressalta.

Para prevenir acidentes e aumentar a segurança no trânsito neste período, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) sempre reforça a fiscalização nos trechos com maiores índices de acidentes e crimes no período com a Operação Independência. O objetivo é reduzir o número e a gravidade dos acidentes nas estradas federais e garantir segurança e fluidez do trânsito aos usuários.

A viagem de carro pode ser mais prazerosa para curtir paisagens e poder parar onde quiser, mas, para isso, é importante que o motorista se preparar psicologicamente para a jornada, sabendo que poderá enfrentar congestionamento. Vale ressaltar a importância de evitar os horários com maior fluxo de veículos e redobrar a atenção nos trechos considerados perigosos.

Apesar das causas externas, os registros da PRF apontam a imprudência dos motoristas como principal motivo dos acidentes. Dom José Chacorowski ressalta que a prudência e a atenção sempre cabem na boleia do caminhão e no carro de passeio, tudo isso multiplicado por dez, quando o assunto é o estado precário das nossas rodovias.

O bispo destaca ainda que sem incentivo e sem conservação, sem a devida atenção por parte dos responsáveis, nossas rodovias tornaram-se um “paraíso” para as oficinas mecânicas, borracharias, fábricas de pneus e molas e por que não dizer, para as funerárias.

“Amem a vida e mostrem concretamente que a amam demonstrando isso com as duas mãos firmes no volante, os dois olhos na estrada, os dois ouvidos no ruído do motor e, principalmente, quero dizer com isso que o celular deve ficar quietinho na bolsa e, sobretudo, o coração ligado na família”, disse.

E fica aquele alerta! Se for viajar com crianças menores de dez anos é obrigatório por lei o uso de bebê-conforto, poltrona de elevação (cadeirinha) e assento de elevação para o transporte dos pequenos no carro de acordo com a idade.

O balanço de 2017, divulgado pela PRF, mostra uma redução nos índices que medem a violência no trânsito em rodovias federais. Em comparação a 2016, o órgão registrou uma queda de 2,7% no número de mortes, 3,5% de feridos, 13,8% de feridos graves e de 7,5% no número de acidentes nas rodovias federais.

Ainda segundo o balanço da PRF, em 2017, ocorreram 89.318 acidentes em rodovias federais que resultaram na morte de 6.244 pessoas e 83.978 feridos. Estes números são menores quando comparados a 2016, ano em que ocorreram 96.590 acidentes, que resultaram na morte de 6.419 pessoas e deixaram outros 87.006 feridos.

A PRF ainda não divulgou como será a Operação Independência 2018.

Fonte e imagem: Divulgação/CNBB

MAIS NOTÍCIAS