Portal Diocese de Tubarão
Logotipo

PARÓQUIAS

Principal | Organização | Paróquias | Imbituba

Paróquia de Imbituba

Paróquia de Imbituba

Pároco: Pe. Pedro Paulo das Neves
Vigário Paroquial: Pe. Marcos Herdt
Diáconos: Virgílio Brescianini e Almir Martins

Endereço:
Paróquia Imaculada Conceição
Rua Imaculada Conceição, 111
88780-000 - IMBITUBA - SC


Fone: (48) 3255-0250
E-mail: contato@paroquiaimbituba.com.br
Facebook: www.facebook.com/paroquiadeimbituba
Site: www.paroquiaimbituba.com.br

DADOS HISTÓRICOS

Padroeira: Nossa Senhora Imaculada Conceição
Fundação: 15/11/1956

A história religiosa na região de Imbituba remonta ao longínquo século XVI, quando as terras do Brasil foram divididas em capitanias hereditárias, ficando estas terras pertencentes à Capitania de Sant´Ana. Tudo por aqui era chamado de Terras de Sant´Ana.

Em 1537, provavelmente, segundo pesquisa na obra “Laguna - Uma Epopéia Esquecida” , na região de Imbituba (local onde hoje se localiza Vila Nova), se instalou uma missão franciscana para a catequese dos índios Carijós, chamada de Missão Mbyaçá ( Vyaçá).

As terras onde hoje situa-se a paróquia Imaculada Conceição, de Imbitba, pertenceram então, há quase 500 anos, à uma Missão Franciscana, e acolheram também a primeira escola de missões no sul do Brasil.

Em 1605, dois missionários francisanos, da ilha de São Vicente, aportaram em Imbituba, na chamada Baía de Don Rodrigo (local onde hoje se encontra o porto de Imbituba e onde funcionou durante muitos anos a armação baleeira, e onde foi construída a primeira igreja da região, uma capela dedicada a São Pedro).

Em 1650 já existia uma considerável população em Nossa Senhora de Sant’Ana de Vila Nova crescia no ano de 1650, conforme consta no livro de batizados e de tombo de Mirim e Vila Nova, escrito pelo Pe José Francisco Bertero. Nossa Senhora de Sant’Ana de Vila Nova também foi um dos nomes dados às terras de Imbituba, dado às duas importantes freguesias: a de Sant’Ana de Vila Nova e a de Sant’Ana do Mirim, responsáveis por boa parte de nossa história. A História do progresso econômico de Imbituba começa em 1715, com a vinda do Sargento “Capitão” Manoel Gonçalves de Aguiar, para realizar trabalhos de inspeção sobre a colonização na Região de Imbituba e Vila Nova. Concluídos os trabalhos retorna ao Rio de Janeiro e recomenda ao Governo Imperial que se instale uma armação baleeira, pois também observou muitos “troncos de madeira preta" boiando no mar. Eram as baleais francas, também chamadas naquela época de "baleias tansas", por serem muito dóceis. Em 1796 é instalada a 4ª maior armação baleeira do Brasil, em Imbituba junto aos "combros de areia" na Praia do Porto (antiga Baia Don Rodrigo).

Desde 1752 uma pequena Capela dedicada a Sant´ana, em Villa Nova, reunia aos domingos fieis que eram batizados, e onde se celebrava a Santa Missa dominical. Cem anos mais tarde, por volta de 1855-1856 outra localidade - Mirim - começa a alcançar importância e torna-se sede da Paróquia, posição antes ocupada por Vila Nova. Na época Vila Nova era uma das mais importantes localidades do sul do Brasil e até possuía o título de Freguesia, pois possuía cerca de cinco dezenas de casas de alvenaria cobertas por telhas - daquelas “feitas nas coxas”. Em 1º de dezembro de 1917, vindo de São João Batista de Imaruí, onde era provisionado Pároco e encarregado do Senhor Bom Jesus de Pescaria Brava, chega a Imbituba para assumir como pároco da Paróquia de Sant’Ana de Mirim, o Cônego Doutor Cesar Rossi. Padre César Rossi, deu um novo rumo na religiosidade e encaminhamento das almas, e foi quem anexou Vila Nova à Paróquia de Santana de Mirim.

O Padre Rossi, é substituído pelo padre Paulo Hobold, que em 1942, lança a pedra fundamental para a construção da igreja que, em 1956, viria a se tornar a terceira sede da paróquia de Imbituba, já sob o pastoreio do padre doutor Itamar Luiz da Costa e durante o episcopado, em Tubarão, de Dom Anselmo Pietrulla.

Em 21 de junho de 1958, Imbituba é emancipada política e administrativamente de Laguna em caráter definitivo. Era Pároco de Imbituba, o Revmo. Padre Itamar Luiz da Costa.

Nesse ano, entre abril e maio, mês de Nossa Senhora de Fátima, padroeira das missões capuchinhas, vêm a Imbituba, procedentes do Rio Grande do Sul, os missionários, sob a liderança do Frei Timóteo, que com outros capuchinhos evangelizaram e converteram centenas de imbitubenses. Centenas de crianças e adolescentes são consagrados, no dia 13 de maio, a Nossa Senhora de Fátima. Muitas comunidades, à pé, carro de boi, carroça, bicicletas e lotações acorriam desde o interior do município para receberem a pregação dos Freis capuchinhos. Os Capuchinhos visitaram e incentivaram a pesca da baleia, rezando com os pescadores em 1951 no antigo Barracão da Baleia.

Vinte três anos após a missão de 1.958 chega novamente em Imbituba a Ação Missionária Capuchinha do Rio Grande do Sul. Estava em Imbituba como pároco o Pe. Sidnei Vilttali.

Em 2008 e novamente chegam as Missões Capuchinhas do Rio Grande do Sul, procedentes do Largo de Fátima em Vacaria, e aqui permanecem de 19 de abril até 18 de maio de 2.008. A Paróquia Imaculada Conceição, está então sob a administração espiritual do Pe. José Eduardo Bittencourt. Em todas as ocasiões a paróquia não perdeu a oportunidade de crescer na fé e se organizar através da evangelização dos capuchinhos. O incentivo às pastorais e surgimento de novos grupos de trabalho sempre foram marca da presença dos franciscanos na paróquia.

Voltando a década de 1960, encontramos novamente nosso primeiro pároco: Doutor Itamar Luiz da Costa, que recebeu o título de Cônego em 1966 do bispo diocesano Dom Anselmo Pietrulla.

Grande benfeitor de Imbituba, o Padre que tinha muito de médico, e entendendo de medicina, prestava grande socorro à população mais carente nessa área. Chegou em Imbituba pela primeira vez em 29 de janeiro de 1956.

Após a instalação da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em 15 de novembro de 1956, o Cônego Dr. Itamar, embora continuando a ser vigário de Imaruí até julho de 1957, quando se transferiu para cá, não mediu esforços em fazer crescer Imbituba como verdadeira comunidade de fé. Com sua grande alma zeladora dos enfermos, de imediato percebeu que Imbituba e redondeza, precisava de uma Casa de Saúde, pois Imbituba dependia em tudo do Hospital de Laguna. Graças a sua liderança e prestígio junto à Cerâmica de Imbituba, pois era amigo pessoal do Comendador Rimsa e dos diretores da Companhia Docas de Imbituba, iniciou e concluiu a construção do Hospital São Camilo no Bairro de Paes Leme. A população católica de Imbituba em muito ajudou o Pároco nessa empreitada.

Durante sua vida em Imbituba, construiu com a ajuda da Prefeitura a Praça da Matriz, o Jardim de Infância Dr. João Rimsa e colaborou para a fundação da Rádio Difusora de Imbituba, onde manteve o programa criado por ele "Os Ponteiros Apontam para o Infinito".

Padre Itamar viveu nesta terra por apenas 49 anos, dos quais 24 como sacerdote. Seus restos mortais estão hoje na Igreja Matriz de Imbituba, em um belo Memorial, onde repousa uma História, um nome mítico, um pastor ímpar, orador dos oradores, que chocou a Terra do Imbé no dia 03 de abril de 1970, com a notícia de sua morte.

Nos 14 anos à frente da paróquia de Imbituba construiu um legado de trabalho e devoção que ainda hoje é lembrado e respeitado.

Comunidades:

Comunidade Padroeiro/a
Barra da Ibiraquera Menino Jesus de Praga
Boa Vista São Sebastião
Gruta São Sebastião
Guaiúba São José
Itapirubá Nossa Senhora dos Navegantes
Matriz Nossa Senhora Imaculada Conceição
Mirim Santa Ana
Morro do Mirim Nossa Senhora do Carmo
Paes Leme São Camilo e Santa Paulina
Sagrada Família Sagrada Família
São Tomáz São Tomáz
Vila Alvorada Nossa Senhora Aparecida
Vila Esperança Nossa Senhora de Fátima
Vila Nova Santa Ana
Vila Nova Alvorada Cristo Rei
Vila Santo Antônio Santo Antônio