Assembléia Diocesana de Pastoral

1. Assembleia de Pastoral é um instrumento de comunhão e participação, na medida em que reúne os membros da Igreja que estão mais comprometidos no trabalho eclesial para pensar e definir comunitariamente prioridades, objetivos e programas de ação. É lugar de decisões amplas e de grande animação pastoral no respectivo nível eclesial.

2. São membros das Assembleias Diocesanas o bispo, vigário geral, ecônomo, padres e diáconos, coordenação diocesana de pastoral, coordenadores e assessores diocesanos nas diferentes equipes de coordenação dos serviços pastorais, coordenação diocesana dos Grupos de Famílias, coordenação diocesana dos religiosos, coordenadores comarcais de cada pastoral, movimento, associação e organismo, coordenadores/as dos conselhos paroquiais de pastoral, religiosos e leigos liberados para a pastoral nos diferentes níveis, um representante do Seminário Filosófico e os seminaristas do 4º ano de teologia.

3. A Assembleia reúne-se, ordinariamente uma vez por ano, para avaliar o ano pastoral diocesano, escolher e aprovar as prioridades e urgências na diocese, propor e aprovar as ações comuns diocesanas e o plano de ação pastoral para cada ano. Poderá ser convocada extraordinariamente sempre que houver justificadas razões para tal.

4. A Assembleia ordinária ou especialmente convocada para tal tem ainda as seguintes atribuições: acolher as orientações da Igreja e as diretrizes nacionais, aprovar Planos de Pastoral e tomar decisões, em concordância com seu bispo, que dizem respeito ao bem da Igreja diocesana.

5. A convocação da Assembleia é feita por circular assinada pelo Bispo, ao menos 30 dias antes da data marcada, indicando o local, a data e a hora de sua realização.

6. As decisões são tomadas mediante voto aberto e por consenso da maioria absoluta (metade +1).

7. A Assembleia Diocesana de Pastoral é presidida pelo bispo e conduzida pela Coordenação Diocesana de Pastoral.

8. A Ata da Assembleia é redigida em Livro de Atas próprio por um/a secretário/a especialmente convidado.

9. Para o melhor funcionamento da Assembleia, outros serviços sãoo distribuídos, anteriormente, entre seus membros: recepção, animação, liturgia, secretaria, cronometria etc...

 

 

Reflexões e Encaminhamentos da Assembleia 2019

 

A diocese de Tubarão realizou, dias 18 e 19 de outubro, sua Assembleia de Pastoral de 2019. Dom João Francisco Salm, apresentando as Novas Diretrizes, fez as seguintes observações:

- As DGAE 2019-2023 têm diante de si a cultura urbana, cada vez mais abrangente (individualismo, consumismo, medo, pluralidade de escolhas, imediatismo) e as próprias cidades com suas realidades complexas.

- As DGAE 2019-2023 apontam para uma Igreja Católica mais missionária, casa da acolhida dos mais vulneráveis e atenta aos desafios e urgências de uma realidade profundamente marcada pela cultura urbana.

- As DGAE 2019-2023 apontam para a necessária formação de pequenas Comunidades Eclesiais Missionárias nos mais variados ambientes. E as representam com a imagem da “casa”, “construção de Deus” (1Cor 3,9), onde as pessoas vivam a união fraterna. A Casa-Comunidade se sustenta por quatro pilares - Palavra, Eucaristia, Caridade e Missão. Estes pilares orientam para uma série de ações pastorais e realçam o atendimento às urgências da ação evangelizadora nos tempos atuais.

A Assembleia refletiu sobre a Igreja, celebrou a caminhada e aprovou encaminhamentos para o ano de 2020.

 

 

Santas Missões Populares

 

Um rápido olhar sobre as Santas Missões Populares, que mobilizou toda a diocese, paróquias e comunidades, fez perceber que:

- As famílias estão precisando de uma maior atenção da Igreja, mais proximidade, mais acolhimento. Muitas vivem situações difíceis de diversas naturezas (doenças, solidão, falta de conhecimento sobre Jesus Cristo e as verdades da fé, desemprego, pobreza e carência dos itens mais básicos para uma vida digna, vícios, medo...). 

- Esta realidade precisa estar presente no dia a dia do trabalho pastoral.

- A presença do padre e de leigos enviados pela Igreja, a oração, a bênção, a disposição em ouvir... trazem muito alento às famílias.

- A missão precisa ser permanente. Trata-se de uma dimensão que não pode ser negligenciada por ninguém, por nenhuma estrutura, por nenhuma pastoral, movimento, grupo...

- Será necessário manter um projeto diocesano que alimente o espírito missionário, fomente para a missão, prepare os missionários etc.

- Nas instâncias próprias que a diocese dispõe, definir um projeto missionário diocesano que, além da missão continuada na diocese, contemple experiências missionárias em outras dioceses do Brasil por períodos curtos e participe de projetos de missão ad gentes e Igrejas Irmãs.

 

 

Por uma Igreja Missionária

 

O assunto recebeu um olhar atento da Assembleia e alguns compromissos foram propostos e acolhidos: 

- Dar continuidade às Santas Missões com mais presença nas casas, revisitação, atenção aos casos mais urgentes. 

- Desenvolver, anualmente, nos meses de agosto a outubro, uma programação missionária mais sistemática com algum material de apoio fornecido pela Comissão Missionária Diocesana.

- Manter ativas as COMIPAS (Comissões Missionárias Paroquiais) e certo vínculo com a COMIDI (Comissão Missionária Diocesana), mediante um programa de atividades.

- Promover, em 2020, encontros de formação de assessores adultos e jovens para as paróquias que desejarem implantar a Infância e Adolescência Missionária (IAM).

- Realizar uma Concentração Diocesana dos Missionários e Missionárias das Santas Missões Populares e Lideranças dos Grupos de Famílias e das Comunidades, no mês de agosto de 2020.

 

 

Novo Plano Diocesano de Pastoral

 

Dois itens foram apreciados e aprovados pela Assembleia em relação ao Novo Plano Diocesano de Pastoral:

- Através de um instrumental aprovado pela Assembleia será feita uma avaliação do atual Plano de Pastoral, até maio de 2020, nas paróquias e nos setores de pastoral. No final deste período, cada paróquia ou setor de pastoral fará uma síntese da avaliação e enviará para a diocese. 

- Após feita a criteriosa avaliação do atual plano de pastoral, uma equipe elaborará no período de junho a setembro de 2020, um texto mártir. Este receberá as propostas de mudanças na Assembleia de outubro 2020 e nova redação nos meses seguintes, para ser aprovado por uma assembleia extraordinária, em março de 2021.

 

 

Outros anseios manifestados

 

No decorrer da Assembleia, outros anseios ainda foram sendo manifestados:

- Iniciar uma Escola Diocesana de Liturgia (e Catequese?), em 2021, após uma melhor estruturação da Pastoral Litúrgica, no decorrer de 2020.

- Dedicar maior cuidado na preparação e formação dos Ministros da Palavras, a exemplo do que fazem algumas paróquias.

- Ter presente, no Novo Plano de Pastoral, a urgência da Iniciação à Vida Cristã.

- Produzir folhetos temáticos mensais para serem distribuídos nas Igrejas, prédios e outros espaços geográficos urbanos.

- Realizar uma campanha de “marketing” diocesana de conscientização sobre o dízimo.

- Celebrar o Dia do Pobre, conforme desejo do papa expresso na mensagem sobre o dia.

- Reagir ao projeto da abertura da fosfateira de Anitápolis, alertando a população sobre os riscos eminentes e pressionando as autoridades pela não abertura da mina.

A Voz do Pastor
Missas on-line na Rádio Tubá
Logotipo Diocese Tubarão

- Diocese Tubarão -
Rua Senador Richard, 90 | Centro
88.701-220 | Tubarão | SC
[email protected]
(48) 3622-1504

- Expediente -
08h às 12h | 13h30 às 18h
(Segunda à sexta-feira)
08h às 11h
(Sábado)

© 2019 Copyright Diocese Tubarão - Todos os direitos reservados

© 2019 Copyright Diocese Tubarão
Todos os direitos reservados
KleinCode | paxweb.com.br

Oração em Família

Celebrar o Domingo em Família